Em 2010, Stephen Jen, um dos fundadores do hedge fund SLJ Macro Partners LLP, que passou treze anos como estrategista cambial no Morgan Stanley, ajudou a desenvolver uma teoria conhecida como o “Sorriso do Dólar” (The Dollar Smile Theory).

De acordo com essa teoria, o dólar americano é valorizado quando ambiente financeiro global está muito bom ou muito ruim.

Veja a imagem abaixo. Ela ajudará a entender essa simples teoria.

A Teoria do Sorriso do Dólar

A Teoria do Sorriso do Dólar

Quando as coisas estão indo bem nos Estados Unidos, sua economia lidera o mundo desenvolvido. Em raros momentos quando os EUA está performando bem, o FED (Banco Central Americano) tende a aumentar a taxa básica de juros, assim atraindo fluxo de capital investidores do mundo inteiro para o país. Como conseqüência, o dólar ganha força.

Se a economia americana estiver dando sinais de recessão, por exemplo, o sentimento negativo vai atingir toda economia global, pois os investidores tendem a fechar suas posições em investimentos de risco, e levar portfólio de investimento em ativos dolarizados e esse movimento global faz com que o dólar suba.

Finalmente, quando a economia dos EUA não está muito fraca ou muito forte, o dólar tende a desvalorizar. Enquanto os rumos da economia estiverem incertos, os traders tendem a vender dólar e investir em moedas que apontam rendimentos maiores ou em economias emergentes com taxas de juros alta, como o Brasil.
Resumindo as etapas dessa teoria:

Fase 1 – Quando a aversão ao riso aumenta, o dólar americano sobe
O lado esquerdo do “sorriso” mostra que o dólar americano se beneficia da aversão ao risco. A economia global está começando a mostrar sinais de potencias problemas sérios. Os investidores estão preocupados e começam a buscar proteção de seus portfólios em moedas como o dólar americano e o Iene. Durante essa fase, os investidores buscam economizar dinheiro ao invés de especular aumento suas exposições aos mercados.

Fase 2 – Quando a economia americana tropeça e aponta recessão
O meio do “sorriso” mostra o dólar americano enfraquecido. A economia americana está mostrando claros sinais de enfraquecimento ou até mesmo uma recessão, e o FED começa a cortar a taxa básica de juros e mudar sua política econômica. Assim a demanda pelo dólar americano cai, e a moeda americana perde força.

Fase 3 – Crescimento econômico
O lado direito do “sorriso” mostra que a economia americana está se recuperando gradualmente, e os dados fundamentalistas começam a apontar para uma retomada dos bons indicadores econômicos. Os agentes econômicos começam a antecipar um novo período de expansão, eles então retomando a demanda por empréstimos e aumentam sua exposição em ativos de risco. Com o otimismo de volta ao mercado, os agentes buscam aceitar mais exposição ao risco. O dólar americano é valorizado graças aos sinais positivos da economia americana – que pode projetar um PIB maior, mercado de trabalho aquecido, inflação dentro da meta do FED, salário em crescimento e etc. – bem como as expectativas de que o FED pode aumentar a taxa básica de juros (como está acontecendo hoje no mercado).

Gráfico do índice do dólar americano (DXY)

Gráfico do índice do dólar americano (DXY)

É importante lembrar que todas as economias são cíclicas, ou seja, elas passam por oscilações – altas e baixas.

A Teoria do Sorriso do Dólar não é uma garantia de que todos os participantes terão a mesma interpretação do mercado, mas ela pode ajudar, de forma simples e objetiva a entender algumas bases fundamentais do comportamento dos participantes e do que faz o mercado girar.

O investidor deve ficar de olho na precificação do dólar americano, e também no sentimento do mercado em geral para fazer seus investimento e operações de acordo com as expectativas do mercado.

Comentários

Comentários